Tireoide: quando o menos é mais

exame para ver disfunção da tireoide

 

Com forma bem parecida com a de uma borboleta, a glândula tireoide é localizada na parte anterior do pescoço, logo abaixo do “Pomo de Adão”. Reguladora da função de importantes órgãos como o coração, o cérebro, o fígado e os rins, ela produz os hormônios T3 (triiodotironina) e o T4 (tiroxina).

Quando a tireoide não funciona de maneira correta, pode liberar hormônios em quantidade insuficiente, causando o hipotireoidismo,  ou em excesso, ocasionando o hipertireoidismo. Nessas duas situações, o volume da glândula pode aumentar o que é conhecido como bócio.

A tireoide atua no crescimento e desenvolvimento de crianças e adolescentes, no peso, na memória, na regulação dos ciclos menstruais, na fertilidade, na concentração, no humor e no controle emocional.

Quando ocorre o hipotireoidismo, o coração bate mais devagar, o intestino não funciona corretamente e o crescimento pode ficar comprometido. Diminuição da memória, cansaço excessivo, dores musculares e articulares, sonolência, aumento dos níveis de colesterol no sangue e depressão também são sintomas de hipotireoidismo.

No caso de hipertireoidismo, que geralmente causa emagrecimento, o coração dispara, o intestino solta, a pessoa fica agitada, fala demais, gesticula muito, dorme pouco, sente-se com muita energia, embora também esteja cansada.

Disfunções na tireoide podem acontecer em qualquer etapa da vida e são de simples de se diagnosticar. Além disso, elas podem ocorrer mesmo sem o bócio.

O reconhecimento de um nódulo na tireoide pode salvar uma vida. Por isso, a palpação da glândula é de fundamental importância. Se identificado o nódulo, o endocrinologista deve solicitar uma série de exames complementares para confirmar ou descartar a presença de câncer.

Estima-se que 60% da população brasileira tenham nódulos na tireoide em algum momento da vida, mas isso não significa que sejam malignos. Apenas 5% são cancerosos.

Algumas crianças podem nascer com hipotireoidismo. Para detectá-lo, é realizado o chamado Teste do Pezinho, que deve ser feito, preferencialmente, entre o terceiro e quinto dia de vida do bebê.

No entanto, quando se trata da tireoide, muitas vezes o menos é mais. Deste modo é essencial saber que:

  • Nem todo nódulo deve ser puncionado
  • O ultrassom de tireoide não deve ser um exame de rotina
  • Radioiodoterapia deve ser cada vez mais individualizada
  • Nem todo câncer precisa ser operado
  • O hipotireoidismo no idoso deve ser cuidadosamente avaliado
  • Testes moleculares devem ser solicitados em casos específicos
Essa informação pode ser útil para mais pessoas. Compartilhe:
Veja Também:
exame para medir glicemia

Olho vivo no diabetes

  É fácil ouvir que você tem diabetes? Não. Entretanto, se você tiver informação de qualidade e aprender tudo que precisa para o seu dia

obesidade tem tratamento

Obesidade: eu trato com respeito

  A obesidade é uma doença crônica, que afeta um número elevado de pessoas por todo o mundo. Optar por uma rotina alimentar saudável e a prática de exercícios físicos podem contribuir

Agendamento de consultas e exames, dúvidas ou comentários? Utilize nossos canais de comunicação. Minha equipe esta pronta para lhe atender com agilidade e carinho.

Rafaela Norbim

Preencha o formulário e tire suas dúvidas

Telefone do consultório